Tashi Rabten - Mosteiro Budista

A Stupa

O significado das Stupas

A Stupa é a representação simbólica da mente de Buddha. As stupas são construídas geralmente em lugares onde haja passagem de pessoas, com por exemplo, em cruzamentos. Quando uma stupa é construída cuidadosamente, diz-se que ela tem um forte impacto nos arredores. Ela diminui as forças negativas e encoraja a harmonia e liberdade para os seres. Por esta razão também é usada a expressão “Shanti Stupa”, que significa “monumento da paz”.

Em 1967, uma stupa foi construída em Letze, em memória de Geshe Rabten Rinpoche. Muitas pessoas de diferentes círculos sociais auxiliaram o preparo e conduziram os trabalhos para a construção dessa stupa. A palavra stupa logo se tornou bem conhecida. Na língua alemã, todos os substantivos são precedidos por um artigo masculino, feminino ou neutro. Logo surgiu a necessidade de designar-lhe um gênero. De acordo com a percepção acadêmica para adaptação à língua, pensou-se no feminino “a stupa”, pois, na língua alemã, palavras terminadas na vogal “a” tendem a ser precedidas por artigos femininos. Pouco tempo tempos, especialistas em sânscrito alertaram que deveríamos nos referir a “o stupa”, pois, as palavras sânscritas terminadas na vogal “a” são, na verdade, masculinas! Eles não aceitaram a justificativa de que jamais havíamos dado atenção ao artigo da palavra original. Entretanto, os próprios construtores se referiam com precisão como “das Stupa de Letzehof” (artigo neutro): o objetivo era neutro, um símbolo da mente iluminada.

As stupas podem ter diferentes formatos. A ponta de uma stupa pode mostrar o nível de desenvolvimento espiritual daquele em cuja memória ela foi construída.

  • Uma stupa construída para uma pessoa comum não tem uma extremidade pontiaguda.
  • Uma stupa construída para uma pessoa que entrou no fluxo da liberação têm uma extremidade pontiaguda, com dois anéis.
  • Uma stupa construída para uma pessoa que ainda deve tomar mais um renascimento antes de atingir a liberação da existência condicionada tem uma extremidade com três anéis.
  • Uma stupa construída para uma pessoa que não deseja retornar à existência condicionada tem uma ponta com quatro anéis.
  • Uma stupa construída para um Arhat Shravaka – alguém que atingiu liberação completa da existência condicionada – tem uma ponta com cinco anéis.
  • Uma stupa construída para um Arhat Pratyeka – alguém que atingiu a liberação completa da existência cíclica e que está a caminho da iluminação – tem uma ponta com sete anéis.
  • Uma stupa construída para um ser plenamente iluminado tem uma ponta com treze anéis.

Há oito diferentes tipos de stupas, que foram edificadas em lugares onde eventos especiais da vida de Buddha aconteceram.

  • Na stupa do nascimento (em Lumbini), os degraus sob a pilastra formam uma flor de lótus.
  • Na stupa do ensinamento (em Sarnath), os degraus possuem portas.
  • Na stupa da iluminação (em Bodhgaya), há quatro degraus quadrados.
  • Na stupa do retorno de Buddha do reino dos Devas (em Sankashaya), há escadas que conduzem aos degraus da stupa.
  • Na stupa da reconciliação (em Rajagir), os degraus têm oito faces.
  • Na stupa da vitória (em Vaishali), há quatro degraus circulares.
  • Na stupa da grande maravilha (em Shravasti), há quatro degraus, que formam uma flor de lótus retangular.
  • A stupa do paranirvana de Buddha (em Kushnagar) não possui degraus, e o pilar está diretamente sobre o trono, que tem uma forma parecida com um sino, com duas linhas horizontais.

Muitas stupas são divididas entre uma parte inferior e a própria stupa. A parte inferior, que vai até o princípio do domo é, na verdade, o trono sobre o qual a stupa está apoiada. A stupa inicia verdadeiramente a partir da coroa de folhas de lótus, juntamente dos quatro degraus, seguida da segunda coroa de lótus, o domo, e os elementos superiores. Cada parte da stupa tem um significado simbólico:

  • A base da stupa representa as dez ações curadoras: não-engajamento nas ações de matar, roubar, má-conduta sexual, mentir, caluniar, agressão oral, intriga, cobiça, maldade e visões falsas.
  • A primeira flor de lótus da stupa representa as seis memórias: lembrar-se do mestre, do Buddha, do Dharma, da Sangha, da moralidade e generosidade.
  • Os quatro degraus representam os quatro elementos: terra, água, fogo e vento.
  • A base do domo representa as cinco forças de um Buddha: A força da fé, do entusiasmo, da atenção, da concentração e do conhecimento.
  • O domo representa a iluminação.
  • O quadrado sobre o topo simboliza o caminho óctuplo, e as trinta e sete qualidades da iluminação.
  • A flor de lótus sobre a extremidade inferior do pilar mostra a liberdade dos equívocos da existência condicionada.
  • Os treze anéis representam os dez poderes e as três consciências da mente de um Buddha: a consciência de que está livre de todos os tipos de luxúria, a consciência de que está livre do ódio, e a consciência de que está livre da visão imparcial para com os ouvintes e não-ouvintes.
  • A saliência cônica, que leva aos anéis do para-sol, representa o “dharani da compaixão”, que significa a união da grande compaixão com as dezesseis vacuidades.
  • O para-sol e o anel sob a coroa mostram a união do método e da sabedoria.
  • A coroa representa as atividades adicionais.
  • A lua e o sol representam a sabedoria do tal-ser e do tal-ver, a sabedoria convencional e última.
  • O ápice corresponde à condição da Grande União da iluminação, na qual o corpo e a mente, ou o corpo ilusório e a sabedoria da clara luz foram unidos.
  • Os ornamentos, que podem ser fixados entre o ápice e o domo, mostram os sessenta membros da fala de um Buddha.
  • As quatro colunas, que podem aparecer atrás da stupa, mostram os quatro destemores de um Buddha: o destemor de conquistar todos os obstáculos da derrota, o destemor de conquistar todo o conhecimento, o destemor de declarar o que deve ser superado e o destemor de revelar os remédios.
  • Os estandartes da vitória nessas quatro colunas indicam a vitória sobre os quatro Maras, ou forças negativas.
  • As guirlandas que eventualmente decoram a stupa demonstram as 32 características e 80 indicações do corpo de um Buddha.
© 17.07.24 Rabten Choeling • EditorialData protection